Óbidos-Peniche- Nazaré

Óbidos

A vila medieval de Óbidos é uma das mais pitorescas e bem preservadas de Portugal.

Já ocupada antes de os romanos chegarem à Península Ibérica, a vila tornou-se mais próspera a partir do momento em que foi escolhida pela família real. Desde que o rei D. Dinis a ofereceu a sua esposa D. Isabel, no séc. XIII, ficou a pertencer à Casa das Rainhas que, ao longo das várias dinastias, a foram beneficiando e enriquecendo. É uma das principais razões para se encontrarem tantas igrejas nesta pequena localidade.

Dentro de muralhas, encontramos um castelo bem conservado e um labirinto de ruas e casas brancas que encantam quem por ali se passeia. Entre pórticos manuelinos, janelas floridas e pequenos largos, encontram-se vários motivos de visita, bons exemplos da arquitetura religiosa e civil dos tempos áureos da vila.

Peniche

Peniche vive essencialmente da actividade turística protagonizada pelas praias com condições naturais perfeitas para a prática de surf e bodyboard, que atraem centenas de amantes e profissionais dos desportos de ondas.

Cidade-Rainha do Surf

Capital da onda, Peniche é a referência por excelência do surf em Portugal, e ponto de encontro da elite mundial deste desporto, nomeadamente enquanto etapa da WSL – World Surf League.

O Rip Curl Pro Portugal acontece anualmente desde 2009, no mês de Outubro. Entusiastas da modalidade dos quatro cantos do mundo vêm apreciar as manobras dos melhores profissionais da modalidade a dominar as ondas tubulares, que dão nome à praia de Supertubos (Medão Grande).

Pela costa da cidade contam-se no mínimo 8 praias para a prática de surf, e ainda as praias do Baleal. Local que vive da curiosidade da aldeia piscatória ser ligada ao continente por uma língua de areia, que dependendo da vontade do mar, está imersa ou submersa, tornando-a ilha ou península.

Nazaré

Típica vila de pescadores, a Nazaré é hoje em dia um concorrido centro de veraneio que soube manter as suas tradições ligadas ao mar.

O Sítio, no ponto mais alto da vila (a que se pode aceder por um elevador) é sem dúvida o seu melhor miradouro. Está também ligado ao culto a Nossa Senhora da Nazaré que, segundo a lenda do séc. XII, foi invocada pelo alcaide D. Fuas Roupinho que perseguindo um veado, se iria precipitar no abismo, sem salvação possível. Como prova de gratidão pelo graça que recebeu, D. Fuas Roupinho mandou aqui edificar uma pequena capela - a Ermida da Memória. A pouca distância, foi construído no séc. XVIII o Santuário de onde se realizam grandiosas festas, no mês de Setembro.

A ligação do povo da Nazaré ao mar está bem patente nos pratos de peixe e mariscos, como as Caldeiradas, a açorda e o arroz de marisco e os carapaus secos. Conhecida também pelas suas ondas grandes, perfeitas e incríveis, a Praia do Norte encontra-se sob a influência do fenómeno “Canhão da Nazaré”.

Trata-se de um acidente geomorfológico raro, o maior da Europa e um dos maiores do mundo, que consiste numa falha na placa continental com cerca de 170 quilómetros de comprimento e cinco quilómetros de profundidade.

O “Canhão da Nazaré” canaliza a ondulação do oceano Atlântico para a Praia do Norte, praticamente sem obstáculos, proporcionando a criação de ondas com um tamanho fora do normal em comparação com a restante costa portuguesa. Um verdadeiro playground para os amantes dos desportos de ondas.